domingo, 24 de novembro de 2013

O momento é agora, é isso aí ♫

Today Is Your Day - Shania Twain :*


                                          



Hoje é o seu dia
 

Você tem o que é preciso, você pode vencer...

Você tem o que é preciso, você pode vencer
Hoje é o seu dia de começar
Não desista aqui, não ouse desistir
O momento é agora, é isso aí
Eu sei que você pode e que você irá
Chegar ao topo da montanha
Parte da diversão é a escalada em si
Você só precisa se convencer

Que hoje é o seu dia
E nada pode ficar no caminho
Hoje é o seu dia
Tudo está acontecendo do seu jeito

Hoje
---

Quando alguém joga paus e pedras
Tudo que eles podem quebrar são os seus ossos
E a vida vai te jogar de um lado para todos os lados
E vai te chutar de novo quando você estiver derrubado

A vida vai te chutar, vai te jogar para todos os lados
Vai te derrubar

Levante-se de novo, sem arrependimento
Melhor impossível
Não espere nem mais, nem menos
Saia e dê o melhor de si

Hoje é o seu dia...

domingo, 29 de setembro de 2013

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

"Mas o que vai te fazer falta mesmo, o que vai doer bem fundo, é a saudade dos momentos simples: da sua mãe te chamando pra acordar, do seu pai te levando pela mão, dos desenhos animados com seu irmão, do caminho pra casa com os amigos e a diversão natural (...)"
- Martha Medeiros

terça-feira, 3 de setembro de 2013

Estudo da vida

Feliz Dia do Biólogo(a)!
Tem que amar!

terça-feira, 20 de agosto de 2013

En mi habitación

Kelem Duarte
A paisagem que imagino ver à janela do meu quarto

 A cama desarrumada, o livro surrado no banco ao lado, algumas roupas por cima da estante esperando para serem guardadas. A bagunça já ultrapassou o âmbito do quarto. Sempre tive o quarto como reflexo da nossa vida. Pode parecer uma associação barata e clichê, mas parando para pensar é mesmo. Quando ele está muito organizado, muito bonito, muito limpo, muito alguma coisa é de estranhar. A vida quando vem acompanhada da palavra 'muito' é porque tem algo de errado. Seja muito amor, muito desamor, muito sono, muita desilusão, muita fome, eu já nem sei muito o que, mas não é nada bom.

Por falar em afirmações baratas, cito outra, o tal do Agosto. Dizem que é o mês do desgosto, eu discordo em vários pontos. Muitas coisas boas podem acontecer em nossas vidas nesse mês, acredito que desgosto a gente já teve o ano todo também, um mês a mais um mês a menos não faz diferença. Quando se entra em férias dizem também que é um momento de descanso, de aproveitar, mas e quando as coisas não vão bem não adianta, seja em agosto, em janeiro ou em novembro. Não adianta disfarçar, não adianta arrumar o quarto, acender um incenso, deixar o sol entrar. As coisas não se resolvem apagando a luz e deitando a cabeça no travesseiro.

De uns tempos para cá, comecei a me desapegar de tudo que me prendia demais. Mas não foi tão fácil assim, aquele velho amor as vezes bate à porta. Os velhos problemas familiares também vem me assombrar na calada da noite. As velhas lembranças ruins daquele janeiro muitas vezes me tiram do sério. Tudo que é sentimento velho, fica resguardado em algum canto, e um belo dia afloram.

Quando as coisas parecem não ter solução, a vontade é de acender um cigarro, mas não fumo. Tomar um café, mas já é noite e terei insônia. Por isso, olho ao redor, vejo o meu mural com fotos de quando era pequena, as paredes com colagens de cor laranja, e resolvo escrever. 

Escrever, a meu ver, transcende o elegante, o bonito, e se torna necessário. Não preciso de palavras bonitas, rebuscadas, nem de tanta poetização. Basta um texto corriqueiro, simples, um pouco desdeixado, mas que expresse exatamente o que sinto nesse momento. Ao término de qualquer texto, uma nota, uma notícia, uma crônica, qualquer que seja o gênero, é como se tivesse feito horas de terapia.   

É sempre bom recorrer a métodos naturais para se curar dos males, pelo menos para escrever não precisa muito investimento, basta um papel, uma caneta, e é claro, muitas inquietações.

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Razão, Estação ou Vida inteira?

Por que as pessoas entram nas nossas vidas? Já pararam para pensar nessa questão. Pois esse é um texto adaptado da Martha Medeiros que traduz muito os motivos pelos quais as pessoas entram em nossas vidas, e se permanecem ou não. Leia e reflita!


Pessoas entram na sua vida por uma "Razão", uma "Estação" ou uma "Vida Inteira". Quando você percebe qual deles é, você vai saber o que fazer por cada pessoa.

Quando alguém está em sua vida por uma "Razão" é, geralmente, para suprir uma necessidade que você demonstrou. Elas vêm para auxiliá-lo numa dificuldade, te fornecer orientação e apoio, ajudá-lo física, emocional ou espiritualmente. Elas poderão parecer como uma dádiva de Deus, e são! Elas estão lá pela razão que você precisa que eles estejam lá. 
Então, sem nenhuma atitude errada de sua parte, ou em uma hora inconveniente, esta pessoa vai dizer ou fazer alguma coisa para levar essa relação a um fim. Ás vezes, essas pessoas morrem. Ás vezes, eles simplesmente se vão. Ás vezes, eles agem e te forçam a tomar uma posição. O que devemos entender é que nossas necessidades foram atendidas, nossos desejos preenchidos e o trabalho delas, feito. As suas orações foram atendidas. E agora é tempo de ir.

Quando pessoas entram em nossas vidas por uma "Estação", é porque chegou sua vez de dividir, crescer e aprender. Elas trazem para você a experiência da paz, ou fazem você rir. Elas poderão ensiná-lo algo que você nunca fez. Elas, geralmente, te dão uma quantidade enorme de prazer. Acredite! É real! Mas somente por uma "Estação".

Relacionamentos de uma "Vida Inteira" te ensinam lições para a vida inteira: coisas que você deve construir para ter uma formação emocional sólida. Sua tarefa é aceitar a lição, amar a pessoa, e colocar o que você aprendeu em uso em todos os outros relacionamentos e áreas de sua vida. É dito que o amor é cego, mas a amizade é clarividente.


Pare aqui e simplesmente SORRIA.

Martha Medeiros

terça-feira, 16 de julho de 2013

Quase lá...

Noticio que faltam pouquíssimos dias para as minhas férias. E certamente poderei escrever no blog, que há tempos não tenho tido como escrever sequer um parágrafo. Em breve voltaremos a falar sobre literatura, política, músicas, e muito mais assuntos do interesse de todos. Para essa noite de segunda-feira, fique com uma citação de Mário Quintana, o nosso grande poeta Alegretense...


sábado, 22 de junho de 2013

A mudança que desejávamos

       A hora já tarda e eu preciso dormir. Não, eu preciso mostrar para o mundo que eu protestei, que eu quero justiça, que eu sou contra altos impostos, contra a cura gay, contra a PEC 37... e tantas outras coisas que agora eu sou contra. Não, pensando bem, é melhor tirar uma foto no meio do protesto para mostrar para as outras pessoas que eu sou cidadã consciente...
 
     Anseio por muito mais, essas coisas que listei anteriormente, jamais fazem parte do que senti hoje, e estou sentindo desde alguns dias atrás.
   Essas frequentes manifestações que tem acontecido ultimamente não são coisas novas em minha vida. Desde pequena me questiono silenciosamente, sobre o passado de tantas lutas em nosso país, e do presente que vivíamos como se nada afetasse-nos. No colégio, quando não tinha professor, juntava os colegas e íamos para a diretora saber o que estava acontecendo. Quando eu sabia que alguma coisa por direito tinha que ser minha tratava de ir atrás. E dessa maneira fui compreendendo aos poucos o sentido das palavras democracia, política, cidadania. E, claro até hoje elas divergem muito em meus pensamentos. Nada do que está acontecendo me surpreende. Pelo contrário, eu diria até em tom meio bobo, que é a realização de um sonho. É um sonho, do povo acordar, sair às ruas, e ver que política não é sinônimo de partido político. Os governantes não prestam favores a nós, pelo contrário eles trabalham ao nosso dispor.

    Questões políticas sempre me intrigaram, sempre busquei saber mais sobre esses assuntos, embora eu me mantenha calada perante a sociedade. É eu diria calada, não saio por aí expressando meu ponto de vista, nem meus ideais. Prefiro escutar muito mais do que falar. Quem tiver interesse e paciência em ouvir meus contrapontos, farei-os com maior prazer, caso contrário não preciso expor a minha opinião por pura e simples vaidade de jogar palavras ao vento, ou melhor apenas para ser mais um comentário nas redes sociais. E por falar nelas, acredito que tenham sim um poder dominador, manipulador, que é muito positivo. É nas redes sociais que soubemos de muita coisa que acontece em nosso país, mas principalmente que acontece ao nosso redor.
      
    Não sejamos tolos, em querer apenas derrubar presidentes, governadores, e até mesmo prefeitos sem antes olharmos para nós mesmos. A corrupção está presente em várias instituições não é só no poder legislativo, nem no executivo. Por mais simples que seja um gesto incorreto que costumamos fazer diariamente, como furar filas, não devolver um troco errado, não deixa de ser corrupção.
   
    Se não combatermos isso na veia da sociedade, de que adiantará multidões quererem derrubar seus governantes, sem ao menos refletir sobre nossas atitudes diárias? Os nossos valores morais vêm de casa, de nossos ensinamentos desde pequenos, na sala de aula também aprendemos isso. Aprendemos a esperar nossa vez, a escutar os outros, respeitar as diferenças. Questões básicas, valores esquecidos pela correria do dia-a-dia, pela luta incessante por trabalho e trabalho, por ganhar um pouco mais a cada mês. E em consequência disso, se viver um pouco menos a cada mês.
     
     Hoje, dia 22 de junho de 2013 participei do protesto contra o aumento nas tarifas de ônibus, por qualidade no transporte público, e melhoria em uma série de serviços públicos. Como essas manifestações que iniciaram no começo desse mês irão acabar e que mudanças isso trará para o Brasil sinceramente nem arrisco palpitar. Assino esse texto apenas para deixar registrado que um dia fui para a rua, e me juntei com inúmeras pessoas nesse dia, por um único objetivo: mudar a realidade em que vivemos.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Mentirinha branca

     Essa semana, o povo brasileiro foi surpreendido com a notícia do término do Bolsa Família, o que não passava de uma brincadeirinha, segundo a Dilma.
    A presidenta disse que o benefício será mantido, e acalmou os ânimos daqueles que correram pra Caixa  retirar seu tão necessário dinheirinho.

Não queremos só comida
Queremos comida, diversão e arte
Não queremos só comida
Queremos saída para qualquer parte... ♫

   
     

    

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Belezas naturais

"Desfrute as pequenas coisas, porque talvez um dia você olhe para trás e se dê conta de que eram as grandes coisas." 
Robert Brault









"Biodiversidade é a biblioteca das vidas." Thomas Levejoy













"Não é a terra que é frágil. Nós é que somos frágeis. A natureza tem resistido a catástrofes muito piores do que as que produzimos. Nada do que fazemos destruirá a natureza. Mas podemos facilmente nos destruir." James Lovelock











Fotos da minha saída de campo de Botânica I, para coletar algas em Santa Catarina, na Praia dos Ingleses. :D


sábado, 27 de abril de 2013

Ir Além


Manhã serena. O sol a pouco tinha nascido, apesar da forte luminosidade daquele dia especial de novembro. O que seria um breve passeio pelos campos e pelo campus da universidade, se transformou em aventura, buscávamos naquelas paisagens bucólicas algo que nos definisse. 

Pode até parecer clichê, mas mal cliquei na câmera e quando vi essa foto no visor, imaginei mil e uma histórias sobre pessoas que atravessaram esse caminho, algumas chegaram ao fim, outras talvez não.
Observamos atentamente a beleza da paisagem, haviam alguns pássaros felizes pelo frescor que a vegetação nativa proporcionava a eles. 

Não sei por que essa mania de jornalista de querer registrar tudo. Várias vezes corri em busca de fotografar algumas espécies de pássaros, tudo em vão, parece que a natureza não permitia que eu registrasse aquele momento belo. Pois ela escolheu que alguns dos melhores momentos só ficariam registados somente em minhas retinas.

Quando ingressamos na universidade, principalmente se ela exigir de nós o gosto pela leitura, o gosto de observar o mundo, qualquer atividade banal aos olhos de outros seres humanos, para nós siginificará muitas coisas. Talvez aquela fotografia, por mais mal tirada que tenha sido, pode gerar grandes contos, algumas lendas, e quem sabe possa servir de cenário para um belo romance.  

O que não podemos esquecer que o Jornalismo tenta se distanciar ao máximo do subjetivo, das vãs conversas, e reflexões do mundo. Mas na prática, cansamos disso, cansamos do óbvio, perde a graça a matéria fácil, a entrevista comum. 

Contar a história das mesmas pessoas, dos mesmos lugares, os mesmos problemas no mundo que até mesmo os mais terríveis assassinatos vão se tornando comuns.

Se quisermos fazer um pouco melhor, podemos ir além, conhecer lugares que jamais imaginávamos. Bastam algumas quadras de caminhada, algumas queimaduras de sol, um pouco de poeira, mas o resultado são fotos siginificantemente lindas.  

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Milênio do Índio


        É bem comum termos datas no calendário com denominações comerciais, não em sua totalidade, como por exemplo, a Páscoa tem um sentido religioso, porém o setor comercial se apropria dele para vender seus produtos. Dia das mães, dos pais, dos namorados, dos avós, dos tios, e de todos os parentes, servem de exemplo. Datas em que as empresas se oportunam para vender produtos especializados e movimentar a economia. Mas e os outros dias destinados às lutas sociais, e principalmente as raças?
       E quando falo em raças quero destacar aqui a Indígena. Pois, foram povos que foram dizimados, não só fisicamente, mas a sua cultura, os seus costumes também foram sufocados pelo colonizador. Não
serão dias para lembrar do povo indígena que irá redimir tudo o que foi feito com eles. É preciso muito mais, o conhecimento a cerca da cultura dos índios se faz importante para nossas vidas. Até porque temos práticas diárias que vieram deles e nem imaginamos, o chimarrão é um exemplo que cartacteriza muito bem essa influência.
     Alguns povos indígenas, na maioria tribos amazônicas e do centro-oeste, ainda resistem em forma de protestos nos parlamentos, congressos e instituições do poder. Segundo matéria do Greenpeace: "Em manifestação inédita na Câmara dos Deputados, centenas de indígenas de vários povos e regiões do país ocuparam o plenário principal em protesto contra a PEC-215, emenda constitucional que transfere ao Legislativo o poder de demarcar Terras Indígenas. A persistência foi tal que eles conseguiram um avanço nas negociações: o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, se comprometeu a adiar por seis meses a escolha dos membros da Comissão Especial criada para analisar a matéria. Enquanto isso, Eduardo Alves criou uma comissão negociadora, formada por deputados, representantes indígenas e do governo, para discutir todas as questões relacionadas aos povos indígenas que tramitam na Casa." Essa série de atividades em homenagem ao "Dia" do Índio (19 de abril), é denominado de Abril Indígena.
    Além da luta pelas terras, pelo reconhecimento enquanto povo habitante das Américas, é fundamental dedicarmos muito mais do que um dia a eles, mesmo que não consigamos trazer de volta traços de uma cultura que está praticamente extinta. A eles deveríamos dedicar uma semana, um mês, ou até mesmo o Milênio.

terça-feira, 16 de abril de 2013



A Menina que Roubava Livros *-*

domingo, 7 de abril de 2013

I Simpósio de Meio Ambiente da UNIPAMPA

   
       Nos dias 5 e 6 de abril ocorreu o I Simpósio de Meio Ambiente da Universidade Federal do Pampa, na cidade de Caçapava do Sul. A ideia do evento partiu dos cursos de Engenharia Ambiental e Sanitária (Campus Caçapava) e Gestão Ambiental (Campus São Gabriel), com o objetivo de reunir a comunidade acadêmica de uma mesma área e debater sobre diversos assuntos ambientais. Durante os dois dias, tivemos inúmeras palestras com pesquisadores e professores especializados na área ambiental, além de mini cursos sobre temas diversificados que podem ser de grande utilidade na nossa profissão. Teve passeio na Pedra do Segredo - ponto turístico de Caçapava - já postei algumas fotos aqui, quando tive saída de campo de Geologia. ;)
       Cada participante do Simpósio, poderia escolher qual oficina gostaria de participar. Decidi escolher "Fotografia voltada para a área ambiental" ministrada por um jornalista no "Jornal da Campanha", é algo que precisamos em saídas de campo, aulas práticas, principalmente para tirar fotos no microscópio, o que não é muito fácil. Apesar de ser somente algumas horinhas de aula, foi muito proveitosa e pude conhecer várias dicas para se tirar fotos melhores, além de aprender sobre máquinas fotográficas e publicidade. Havia áreas pouco conhecidas pela maioria, como Psicologia ambiental, onde um psicólogo apresentou seu trabalho feito com pescadores de algumas regiões do RS, a preocupação com a auto-estima desses trabalhadores, que muitas vezes se sentem  diminuídos por não verem sua profissão ser valorizada. O trabalho me pareceu muito interessante, pois mostra o quão importante é a orientação dada a essas pessoas, para se sentirem mais motivadas. Isso é inserido na Educação Ambiental, onde também assisti palestras sobre a importância da inclusão desse tema em escolas e os trabalhos feitos com crianças desde 5ª série, até 8ª, as discussões tidas com eles, qual o seus interesses, a forma de abordar o assunto - que depende da idade do público alvo - e as conclusões obtidas por meio dessa ação. Foram apresentados diversos engajamentos dos profissionais em diferentes regiões e escolas do estado, além de um projeto feito com catadores em São Gabriel, promovido pelos acadêmicos do campus da cidade.
      Uma das palestras mais interessantes, foi sobre "Energia Eólica no Bioma Pampa: potencialidades e impactos ambientais", feita por um secretário da FEPAN. Onde foi abordado os prós e os contras dos parques eólicos. Ao mesmo tempo em que a energia eólica é considerada a mais promissora fonte de energia natural no mundo, por ser inesgotável, é uma grande fonte de mortes da fauna, muitas aves sofrem com as hélices dos equipamentos. Os principais exemplos são morcegos, que apesar de terem censores para detectamento, esses são utilizados somente para a caça. Os gaviões, que quando enxergam sua presa, se detém única e exclusivamente nela, assim facilitando o choque nas hélices. Os parques mais conhecidos no estado, são em Santana do Livramento e Osório. A duração do equipamento é de aproximadamente 25 anos.
       A importância da Ética Ambiental também foi discutida, o por que de escolher tal caminho e tomar a devida ação perante os fatos que são apresentados.



    Pude conhecer mais sobre o curso de Geofísica, que é na UNIPAMPA de Caçapava, as áreas de atuação do profissional, e como ainda a profissão precisa ser reconhecida e ampliado os locais de trabalho. E até exemplo do Harry Potter foi utilizado! hahaha 

                           

       
 
 

     Caminhos do Sul da América (clique e leia o blog!) é um projeto que visa o desenvolvimento de Caçapava, associando aspectos culturais aos países vizinhos do Brasil.

        Isso foi um resumão do que eu pude prestigiar durante do Simpósio, foi de grande conhecimento e aprendizado. Teve várias outras palestras e diversos assuntos, mas tornaria ainda mais extensa a postagem. Acredito que serviu como estímulo para todos os que pretendem seguir na área de meio ambiente, pois mostrou a importância que esses profissionais tem para o mundo e sociedade, o que pode ser resolvido ou minimizado a partir da ação de especialistas em assuntos assim. Deixou a mensagem de que a união faz a força, com o intercâmbio de dois Campus da universidade e o envolvimento dos futuros profissionais, foi possível promover um evento de cunho científico e apresentar ações que podem fazer a diferença no ambiente em que vivemos. 
    É importante sempre que o meio acadêmico proporcionar eventos desse tipo, a participação maciça de todos, não só na área ambiental, mas na área de interesse do estudante. Assim, podemos estar a par do que nos interessa e ser capaz de tomar atitudes novas e pensar com a própria cabeça!

      Boa semana!!
      

terça-feira, 2 de abril de 2013

Tudo é loteria

           Vou começar um diálogo que parece mais aquelas conversas de comadres, ou de pessoas antigas quando se visitam e tomam seu chimarrão. Mas vai dizer que a vida não parece um jogo de sorte ou azar? Um dia sem mais nem menos encontramos algumas pessoas que jamais imaginaríamos que fossemos encontrá-las e em pouco tempo se tornam grandes amigos. Da mesma forma encontramos pessoas as quais não entendemos o que elas tem a nos dizer e por motivos futeis deixamos de dar atenção que elas mereciam.
              Mas como entender todas essas relações inexplicáveis. As vezes me sinto perdida em um mundo que se distancia de mim. Um dia estamos bem, felizes, com as pessoas que amamos ao nosso lado, e no outro dia nem sequer sabemos qual será nosso destino. Ultimamente tenho refletido muito sobre tudo que aconteceu em tão pouco tempo desde que 2013 começou. Parece que vivi 2 anos em apenas 4 meses. Volto ao mesmo discurso que o tempo passa depressa, que mal nos damos conta que não teremos chance de voltar atrás. E tudo se torna tão claro, tão aparente, tudo me serviu para entender que não mandamos, nem tão pouco temos força para mudar algo que está predestinado por alguém em algum lugar no tempo. Aquela velha frase clichê e presente em todos os textos de blogs e textos de auto-ajuda: "Tudo que tiver que ser será." Hoje passo a acreditar mais ainda nela, talvez seu sentido seja um pouco vazio, e evasivo.
                Talvez sejamos intensos demais, cobramos demais, levamos a sério demais. A prova de todas as coisas ruins e boas que aconteceram esse ano é que devemos persistir nossos sonhos, mas não nos privar de viver. Devemos sim nos preocupar com o futuro, porém não abdicar do presente. Precisamos de um pouco de tudo, um pouco de todos, um pouco de compromisso, mas também um pouco de curtição. Por que quando menos esperarmos acertamos na 'loteria da vida', mudamos nossa vida para melhor, conhecemos novas pessoas, arrumamos aquela companhia para um mate ou quem sabe para a vida toda. Vá saber!

segunda-feira, 25 de março de 2013

En el cielo...

           Rotineiramente, penso que seja no país que for os jornais sempre abordam as mesmas notícias viciadas e manjadas, porém na busca de algo novo é que achei uma matéria bem interessante sobre os lugares que tem o céu mais lindo de ser observado a noite...
             A UNESCO e a Organização Mundial de Turismo criaram o projeto Starligth.  Ele contempla os lugares, com uma espécie de certificado, que reúnem as melhores vistas noturnas já vistas em todo o planeta. E a maioria deles fica na Europa, em especial na Espanha, são paisagens lindíssimas e parecem até surreais.  Segundo o Jornal Espanhol El País:
         "Una Reserva Starlight es 'un espacio en donde se establece un compromiso por la defensa de la calidad del cielo nocturno y de los diferentes valores asociados, ya sean culturales, científicos, astronómicos, paisajísticos o naturales'."

Confira algumas imagens desses lugares escolhidos pelo projeito STARLIGHT.
Nuestra galaxia desde Las Cañadas del Teide (Tenerife, España). / Juan Carlos Casado

Constelaciones de verano en Monfragüe (Cáceres), desde el castillo. / Juan Carlos Casado /Twanight.org 
La Vía Láctea en la isla canaria de La Palma / Sebastian Johnke / Twanight.org


   Para ver a reportagem completa e outros lugares além desse acesse esse link: http://blogs.elpais.com/viajero-astuto/2012/05/los-mejores-sitios-para-ver-estrellas-.html

Fonte: El país , Espanha.

domingo, 24 de março de 2013

Metade ♫

Adoro essa música!
Música em forma de poesia. Linda! *-*




sábado, 23 de março de 2013

Indispensáveis V

     Bom, já que a Kelem seguiu minhas postagens sobre livros que na nossa concepção são indispensáveis, vou falar sobre um livro que eu amo, e milhares de pessoas compartilham da mesma paixão: Orgulho e Preconceito (suspiros) rsrsrs.

       Jane Austen é britânica, e é indiscutível o talento que esse povo tem pra escrita! Desde o modernismo, até  a geração de Harry Potter. Em se tratando de romance, não tem pra ninguém. São verdadeiras histórias, clássicas, sem apelações, que envolvem apenas com diálogos incríveis. Orgulho e Preconceito, é um dos maiores títulos da Jane Austen e um dos meus livros preferidos de todos os tempos. Assim como O Morro dos Ventos Uivantes, não é clichê, e não sabemos o que esperar até terminar a leitura. Sendo o livro de época, a linguagem é bastante formal, mas não de difícil entendimento e cansativa, ao contrário, é o que dá o charme a escrita e faz com que ficamos encantados do início ao fim. Eu particularmente gosto de romances assim.
          Orgulho e Preconceito, é lindo em todos os sentidos. Vale muito a pena ler! 
        Chegou a virar minissérie, em 1995 e foi adaptado pro cinema, em 2005, o filme é ótimo e faz jus ao livro...

              
   ps: E quem não gostaria de um Mr. Darcy, não é mesmo?! 

Os impostos e suas reais aplicações

Qualquer mudança social tem que partir da escola.
"É mais que direito de todo cidadão saber para que está contribuindo para o Estado..."

         Algumas escolas de ensino fundamental e médio de Santa Maria já trabalham com projetos que abordam a temática tributária. É o caso do Programa Municipal de Educação Fiscal, aprovado em 2002, através da lei nº 11.930/03, que tem como intuito a conscientização de jovens e crianças de que todos os serviços que utilizamos, inclusive os chamados “públicos”, somos nós que pagamos. A partir dessa concepção os professores procuram orientar aos alunos sobre a aplicação dos tributos, que retornam para as comunidades através de melhorias.
       O projeto que completou 10 anos abrange crianças da primeira à oitava série, e também do ensino médio. Sendo um dos pioneiros na cidade, a Escola Vicente Farencena, no bairro Camobi é parceira nessa iniciativa. Segundo Beatriz Vissotto, coordenadora do Projeto na escola: - “O trabalho iniciou-se com historinhas e jogos lúdicos, que além de incentivar o jovem a pensar, também o estimula a analisar as questões dos tributos fiscais, porém hoje o projeto tem muita resistência de alguns educadores o que impossibilita de seguir suas atividades.” Ela ressalta ainda que, “Qualquer mudança social tem que partir da escola”.
Crianças da Escola Vicente Farencena trabalhndo em sala de aula com as cartilhas
        O que muitos professores alegam é não ter preparo para falar sobre essas questões para seus alunos, porém a Receita Federal disponibiliza o curso de Disseminador, no qual Beatriz é a tutora aqui na unidade de Santa Maria, o curso é gratuito e aberto a comunidade que tiver interessada em ampliar seus conhecimentos na área de tributos fiscais.
       Para complementar os trabalhos em sala de aula, foi elaborada uma Cartilha pelos alunos da escola, onde foram desenvolvidas atividades e almanaques para que facilitasse o entendimento do tema. Para tornar mais atrativo, e despertar o interesse das crianças, vários concursos culturais foram feitos como, por exemplo, a escolha do mascote, slogan do projeto, e a realização de exercícios que integrariam a cartilha. Outros livros didáticos e até o próprio site da Receita Federal são fontes utilizadas pelos educadores para trabalhar em sala de aula.
     Esse tipo de trabalho é de fundamental importância, porque além do ensino tradicional, busca educar e formar o pequeno cidadão, capacitado-o a exercer o seu papel no contexto social.

Matéria escrita para a disciplina de Técnicas de Redação e  Apuração Jornalística

sexta-feira, 22 de março de 2013

Indispensáveis IV

     Continuando a série de postagens, iniciada pela Laura ainda no ano passado, sobre livros e sobre a importância da leitura. A indicação de hoje é Morro dos Ventos Uivantes de Emily Brontë...

        Primeiro eu tenho que agradecer a Laura por ter me apresentado esse livro maravilhoso. Ganhei ele de aniversário (novembro) e com a correria não tinha tido tempo de pegá-lo para ler. A história é muito surpreendente, eu diria que ela sai dos padrões dos romances a que estamos acostumados. Aquela mesmice de casais bobos que se conhecem e são separados no meio do livro, mas no fim vivem felizes para sempre. Não.
        Essa história é desafiante do começo ao fim. Encanta a quem quer que seja, até eu que prefiro romances épicos e quase sempre ligados a cultura gaúcha. Esse livro me chamou a atenção por ser de um romance impossível, e me ensinou muito. Por mais que Heathcliff tenha feito de tudo por Catherine não era para os dois ficarem juntos, ou era? Essa é uma incógnita que persiste em mim até hoje, depois de já ter lido o livro. De um lado ele lutou de todas as formas para ficar com ela, porém não conseguiu em vida desfrutar de sua companhia. Porém, em outras vidas eles podem ter se encontrado, ou será que a "maldição" atormentou os dois, além daquilo. Essa obra me chamou muito a atenção nas suas descrições, pois tem a capacidade de despertar o nosso imaginário. Nos faz imaginar as cenas, os lugares e os personagens, os cheiros, o vento dos morros. Um livro que nos faz sentir.
     É por isso que livros e comentários sobre eles são muito relativos, cada um entende da sua maneira, avalia do seu jeito. Aliás não tenho autoridade nenhuma para avaliar uma obra grandiosíssima como essa, apenas posso dizer que foi um dos melhores livros que já ali. Mesmo sendo um romance atormentado, cheio de tragédias e desgraças, nos desperta o interesse, a curiosidade pelo que irá acontecer no desfecho do livro. E isso não contarei, pois quem ainda não leu precisa sim desse livro para sua 'listinha de leituras'.  Aqui embaixo está uma árvore genealógica da família Earnshaw e Linton e seus descendentes caso alguém tenha dificuldade para entender os personagens. Boa leitura!


quinta-feira, 21 de março de 2013

Respeite as diferenças!

21 de março, Dia Mundial da Síndrome de Down! 

                

SER DIFERENTE, É NORMAL! :)


quarta-feira, 20 de março de 2013

Outono, bem-vindo!




"O outono é a única estação civilizada. A primavera é um descontrole glandular da Natureza. O inverno é o preço que a gente paga para ter o outono, e por isso está perdoado. O verão é uma indignidade." 


Em Algum Lugar do Paraíso - 
Luis Fernando Verissimo 

Uns acham o outono triste. Eu adoro o outono! É a estação mais equilibrada e tranquila. :)
Um ótimo outono à todos!

domingo, 17 de março de 2013

Quero sim...

              Queria ter a certeza de que apesar de minhas renúncias e loucuras, alguém me valoriza pelo que sou, não pelo que tenho.
              Que me veja como um ser humano completo, que abusa demais dos bons sentimentos que a vida lhe proporciona, que dê valor ao que realmente importa...
               E que esse alguém me peça para que eu nunca mude, para que eu nunca cresça, para que eu seja sempre eu mesmo.
               Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão... que o amor existe, que vale a pena se doar às amizades a às pessoas, que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim...e que valeu a pena.
               Queria poder crer, que você não está tão inatingível, quanto ao sol, mas sim, que você entraria em minha vida, brilhando e aquecendo o meu coração.

 Mario Quintana

terça-feira, 5 de março de 2013

Elas


   

    Está se aproximando o Dia Internacional da Mulher - apesar de que isso é apenas um simbolismo, já que  todos os dias é afinal o nosso dia! 
   Bom, a questão é que gostei muito da matéria feita pela Estante Virtual em homenagem às escritoras que se tornaram grandes nomes da literatura mundial. Cada qual da sua maneira transformaram o cenário da escrita em algo mais interessante e inovador, dando uma nova roupagem as histórias de suas épocas. Fiquei feliz ao ver minhas preferidas aí: J. K. Rowling (Harry Potter), Jane Austen (Orgulho e Preconceito), Virginia Woolf (Mrs Dalloway), Cecília Meireles (Menina Bonita do Laço de Fita; Ou Isto ou Aquilo - quem não leu!).
   
     ~~~> Clique aqui e veja a matéria especial!!! :D

   

**
Apesar de "O Morro dos Ventos Uivantes" ser o maior clássico de todos os tempos, sua autora Emily Brontë, não teve oportunidade de mostrar mais do seu talento. Esse foi seu único romance e ela mal soube da extensão da fama. Morreu jovem, com 30 anos, de tuberculose, um ano após o livro ser publicado. Uma pena que o título faça muito mais sucesso que sua autora. Mesmo não estando entre as citadas, merece destaque, pois tocou muitos corações com o seu enredo. *-*



  Boas leituras para vocês! ♥
 

domingo, 3 de março de 2013

Entendendo o Gato Risonho

  Alice queria saber qual caminho deveria seguir.
O gato respondeu que depende do lugar onde quer ir. Se não sabe para onde ir, qualquer caminho serve!



   
   Nem todo o caminho é o adequado. Raramente o caminho mais fácil é o certo. Muitas vezes o caminho escolhido não tem volta.
  Por isso é importante saber para onde quer ir. Mas, não esqueça de por em prática os meios para chegar lá!


  Ótima semana à todos!