sábado, 7 de julho de 2012

Ella es así...

            Todos os dias durante anos ela acordava de manhã às 7:15, levantava, escovava os dentes, vestia o uniforme (moleton e calça jeans) e saía correndo pra ir pro colégio. Lá durante 12 anos ela via as mesmas colegas, a mesma sala, os mesmos professores, morava na mesma casa, na mesma rua, mesmos amigos. A vida para ela soava muito rápida, e ela quase não conseguia acompanhar o ritmo do relógio, porém jamais reclamava disso, apenas pressentia que um dia tudo isso mudaria e que seria muito difícil superar. Tantos trabalhos escolares e sempre os mesmos colegas, os mesmos grupos, nos víamos TODOS os dias. Muito mais do que os dias letivos, ainda sempre combinávamos alguma coisa para o final de semana, um chimarrão, uma janta, uma festa. Mas a vida sempre cobrou responsabilidades dela, sempre designou tarefas em que ela não podia recusar e precisava seguir em frente. A vida sempre deu oportunidades para ela, só que desde pequena ela teve que fazer escolhas decisivas, e isso significa deixar tudo e partir em busca dos seus sonhos. Ela sempre falou muito bem de sua cidade e em sua vida nova todos a reconhessem como sendo a alegretense, a que ama ser gaúcha e cultiva as nossas tradições.
            Um belo dia depois de ler muitos livros e de estudar muito, ela para e pensa que faz meses que não vê seus antigos amigos. Foi no feriado de páscoa a última vez que ela viu sua melhor amiga, meu Deus! Isso era impensável há um ano atrás, se ela ficava uma semana longe de sua amiga os assuntos se acumulavam e a saudade apertava. E hoje? O que será que ela sente? Saudade ou satisfação? São sentimentos que parecem antagônicos, mas um conforta e conforma o outro. Saudade (representa o passado), de tudo que ela viveu, de tudo que ela foi, de tudo que pertencia ela, aquela vida, aquelas pessoas, aqueles lugares que eram tão seus. Satisfação, sim, pois tudo que ela conquistou representa muito, tem os estudos , a faculdade em andamento, ela está trabalhando no que sempre quis. E fazer o que ama é muito gratificante, mesmo que seja cansativo e que isso demande muito tempo e dedicação, ela sempre sonhou e aos poucos vê seu sonho se tornando realidade. Mesmo que pague preços como não ir para casa tantas vezes, e descobrir que a vida não é só o que ela planejou, que nada é fácil, mas nem por isso ela desiste do que quer. Porque jamais deixa de pensar nos seus amigos, pais, amores, e faz de tudo para arrumar um jeito de solucionar as coisas. Afinal ela é apenas uma menina de 17 anos que sonha com coisas mirabolantes, futuros inatingíveis, príncipes encantados, contos de fada e que um dia tudo isso se realizará.  

OBS.: Me identifico muito com ela.







Laura estou com muitas saudades! Em breve nos veremos, um grande beijo!

Um comentário:

  1. Linda a postagem, Kelem! A saudade que se sente é muito maior do que aquela que imaginávamos! Mas quando se alcança um objetivo tão sonhado, vale a pena, pois sabemos que estamos no caminho certo.

    Beijãao, muitas saudades também! *-*

    ResponderExcluir