sábado, 28 de julho de 2012

Sempre a poesia...



Ou Isto Ou Aquilo


Ou se tem chuva e não se tem sol,

ou se tem sol e não se tem chuva!
Ou se calça a luva e não se põe o anel,
ou se põe o anel e não se calça a luva!
Quem sobe nos ares não fica no chão,
quem fica no chão não sobe nos ares.
É uma grande pena que não se possa
estar ao mesmo tempo nos dois lugares!
Ou guardo o dinheiro e não compro o doce,
ou compro o doce e gasto o dinheiro.
Ou isto ou aquilo: ou isto ou aquilo...
e vivo escolhendo o dia inteiro!
Não sei se brinco, não sei se estudo,
se saio correndo ou fico tranquilo.
Mas não consegui entender ainda 
qual é melhor: se é isto ou aquilo.


(Cecília Meireles)

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Quintana



O Mapa
Olho o mapa da cidade
Como quem examinasse
A anatomia de um corpo…
(É nem que fosse o meu corpo!)
Sinto uma dor infinita
Das ruas de Porto Alegre
Onde jamais passarei…
Há tanta esquina esquisita,
Tanta nuança de paredes,
Há tanta moça bonita
Nas ruas que não andei
(E há uma rua encantada
Que nem em sonhos sonhei…)
Quando eu for, um dia desses,
Poeira ou folha levada
No vento da madrugada,
Serei um pouco do nada
Invisível, delicioso
Que faz com que o teu ar
Pareça mais um olhar,
Suave mistério amoroso,
Cidade de meu andar
(Deste já tão longo andar!)
E talvez de meu repouso…
(Mario Quintana)

terça-feira, 24 de julho de 2012

Contrariedades

             Já não sei mais porque o arrepio? porque aquele amargor e a sensação de ter sido enganada novamente? Amores, que nada, apenas ilusões, e nem ilusões são. Quando já sabemos que nem as ilusões são falsas. Como a vida é contraditória, um dia dissemos que jamais faríamos tal coisa, e no outro minuto nos vemos lá fazendo o que jamais imaginaríamos. Porque que quando somos pequenos sempre nos dizem nunca desista de seus sonhos, batalhe por isso, e quando crescemos aprendemos a desistir de certas coisas, com o argumento de que não era pra ser, ou então busque outra coisa, busque outro amor, aquele não dá mais.
              Ficamos num cerco quase que sem saída, tão frágeis e ao mesmo tempo tão fortes, na verdade já sabemos até o que vamos sentir. É isso que dá repetir os mesmos erros, fazer coisas que ficaram no passado, e de lá jamais deveriam ter saído.

domingo, 15 de julho de 2012

1 ano...



    Hoje, 15 de julho, faz um ano que estreou Harry Potter e as Relíquias da Morte - parte 2. Fica aqui a singela homenagem aos leitores do blog que são eternos fãs da saga!



Ótima semana, Potterheads! ♥



sexta-feira, 13 de julho de 2012

"Hoje é dia de rock, bebê!"

 \õ/







Aperte o "play" e ouça Bon Jovi:




(...)

É  a minha vida
É agora ou nunca
Eu não vou viver para sempre
Apenas quero viver enquanto estiver vivo

Esta é para aqueles que se mantiveram firmes...

Amanhã será mais difícil, não cometa erros
Não confie na sorte, crie suas próprias chances...

É melhor estar alerta quando chamarem você
Não se curve, não ceda, baby não desista... ♪


Feliz Dia do Rock para aqueles que curtem! 

quinta-feira, 12 de julho de 2012

De quem menos se espera...

   Essa semana vimos um fato um tanto quanto inusitado nos dias de hoje, pois poderíamos esperar qualquer atitude diferente vinda de um casal de moradores de rua de São Paulo. Eles estavam no viaduto da Radial Leste, ouviram disparar o alarme de uma empresa de ferragens e foram verificar do que se tratava e encontraram um malote e sacos plásticos de lixo repletos de envelopes com dinheiro, eram cerca de R$17 mil em notas e R$3 mil em moedas. De posse do dinheiro, o casal procurou o segurança da empresa e pediram para ele chamar a PM. “Quando chegamos, os moradores nos entregaram o dinheiro. Verificamos que pode se tratar de dinheiro que foi roubado de um restaurante japonês, na semana passada”, disse ao G1 o tenente Bruno dos Santos Pedro, do 8º Batalhão da PM. O crime ocorreu no Tatuapé, Zona Leste da capital paulista.
   Em declaração, o morador de rua disse que se lembrou de sua mãe quando ele e sua esposa decidiram devolver o dinheiro. "A única coisa em que eu pensei foi ficar ali e acionar o 190. Quando os policiais chegaram e viram a quantia não acreditaram que eu estava devolvendo o dinheiro. Eu parei para pensar no que minha mãe falou para mim, para nunca roubar nada que é dos outros", disse ao Bom Dia São Paulo.

  Um dos sócios do restaurante invadido, Miguel Kikuchi, de 42 anos, disse não ter acreditado quando a polícia ligou e o informou que o dinheiro havia sido encontrado e devolvido. “Pensei que era trote”, afirmou. “É inimaginável que alguém faria uma coisa dessas. Difícil de acreditar.” Comovidos, os proprietários fizeram duas propostas: bancar a viagem dos dois para o Maranhão ou para o Paraná, onde cada um tem família, ou oferecer condições para que ambos saíssem da rua.


  O casal, que trabalha catando material reciclável nas ruas da capital e vive há mais de um ano na rua, decidiu na hora pela proposta de emprego. “Vou ganhar treinamento para me capacitar e aprender alguma coisa” "A gente nasce sem saber nada e morre aprendendo", disse Rejaniel de Jesus Silva Santos, de 36 anos. “Da limpeza até a cozinha, posso trabalhar onde quiserem.” O homem contou que era auxiliar de limpeza antes de ir morar na rua. “Eu perdi o emprego e tive que vender minha casa.”  Rejaniel contou que ganha, em média, R$ 100 por mês. Com esse “salário”, para juntar os R$ 20 mil teria que trabalhar mais de 16 anos e meio, sem gastar nada. “Melhor ter o seu dinheiro suado do que usar um dinheiro roubado”, afirmou.


  Existe honestidade no mundo, sim!! :D

segunda-feira, 9 de julho de 2012

É isso!

    Citação da série Grey's Anatomy...



 
     Uma ótima semana, gente! Obrigada pelo apoio. Beijos ;*

sábado, 7 de julho de 2012

Ella es así...

            Todos os dias durante anos ela acordava de manhã às 7:15, levantava, escovava os dentes, vestia o uniforme (moleton e calça jeans) e saía correndo pra ir pro colégio. Lá durante 12 anos ela via as mesmas colegas, a mesma sala, os mesmos professores, morava na mesma casa, na mesma rua, mesmos amigos. A vida para ela soava muito rápida, e ela quase não conseguia acompanhar o ritmo do relógio, porém jamais reclamava disso, apenas pressentia que um dia tudo isso mudaria e que seria muito difícil superar. Tantos trabalhos escolares e sempre os mesmos colegas, os mesmos grupos, nos víamos TODOS os dias. Muito mais do que os dias letivos, ainda sempre combinávamos alguma coisa para o final de semana, um chimarrão, uma janta, uma festa. Mas a vida sempre cobrou responsabilidades dela, sempre designou tarefas em que ela não podia recusar e precisava seguir em frente. A vida sempre deu oportunidades para ela, só que desde pequena ela teve que fazer escolhas decisivas, e isso significa deixar tudo e partir em busca dos seus sonhos. Ela sempre falou muito bem de sua cidade e em sua vida nova todos a reconhessem como sendo a alegretense, a que ama ser gaúcha e cultiva as nossas tradições.
            Um belo dia depois de ler muitos livros e de estudar muito, ela para e pensa que faz meses que não vê seus antigos amigos. Foi no feriado de páscoa a última vez que ela viu sua melhor amiga, meu Deus! Isso era impensável há um ano atrás, se ela ficava uma semana longe de sua amiga os assuntos se acumulavam e a saudade apertava. E hoje? O que será que ela sente? Saudade ou satisfação? São sentimentos que parecem antagônicos, mas um conforta e conforma o outro. Saudade (representa o passado), de tudo que ela viveu, de tudo que ela foi, de tudo que pertencia ela, aquela vida, aquelas pessoas, aqueles lugares que eram tão seus. Satisfação, sim, pois tudo que ela conquistou representa muito, tem os estudos , a faculdade em andamento, ela está trabalhando no que sempre quis. E fazer o que ama é muito gratificante, mesmo que seja cansativo e que isso demande muito tempo e dedicação, ela sempre sonhou e aos poucos vê seu sonho se tornando realidade. Mesmo que pague preços como não ir para casa tantas vezes, e descobrir que a vida não é só o que ela planejou, que nada é fácil, mas nem por isso ela desiste do que quer. Porque jamais deixa de pensar nos seus amigos, pais, amores, e faz de tudo para arrumar um jeito de solucionar as coisas. Afinal ela é apenas uma menina de 17 anos que sonha com coisas mirabolantes, futuros inatingíveis, príncipes encantados, contos de fada e que um dia tudo isso se realizará.  

OBS.: Me identifico muito com ela.







Laura estou com muitas saudades! Em breve nos veremos, um grande beijo!

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Nas Entrelinhas do Horizonte

     O título da postagem se refere ao livro que eu acabei de ler ontem... 




    Sim, é escrito por Humberto Gessinger! *-* O cara além de ter sido o vocalista de uma das maiores (e melhores) bandas de pop rock brasileiro Engenheiros do Hawaii, sabe escrever muito bem por sinal!
   O livro é ótimo! Um misto de poesia, música, histórias vividas por ele, observações e conclusões perante os fatos que vivenciamos. Escolhi um trecho para compartilhar por aqui:

"A gente faz as contas, projeta uma vida na outra, tenta se enxergar como se fosse outra pessoa... A gente busca espelhos porque viver é solitário. Busca simetrias porque a vida é torta. A simetria acalma. Talvez acalme porque nós mesmos somos simétricos. Uma linha imaginária, dos pés a cabeça, nos divide em duas partes iguais. Buscamos o que já somos? Esquecemos que essa simetria nunca é perfeita. Para o bom observador, sempre haverá uma perna mais curta, um olho mais caído, uma narina mais aberta...
Certo é que nossa mente busca simetria nas pinturas, nas catedrais e nas notas musicais. Entre passado e futuro, entre os óculos do John e o olhar do Paul, entre Beatles e Stones. (...) Idealiza simetrias que não existem. Buscamos fatos que se repitam, uma ordem, um sentido, um padrão, um padrão, um padrão... Um padrão que não há.
O mundo é ímpar, não dá pra dividi-lo em duas metades iguais."

Afinal, o que faz a beleza do horizonte? As coisas objetivas, que estão lá longe (prédios recortando o céu, montanhas, nuvens) ou nossa subjetiva capacidade de enxergá-las? 


  Está aí um livro indicado para leitura nas férias! ;)

  Uma das minhas músicas favoritas é Somos Quem Podemos Ser (sempre que toca eu penso que é meu celular rsrs), mas eu já postei aqui uma vez... Hoje compartilhei esse vídeo no facebook, outra música deles que eu adoro também, Pra Ser Sincero:




    Beijão, ótimo inverno à todos! :*