quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Sempre Quintana...


O tempo
                 Mário Quintana

A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando de vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é natal...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê passaram 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado...
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas... 

Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo...
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo.
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.

sábado, 24 de setembro de 2011

As palavras de Arnaldo Jabor...

Pois é. O Brasil tem milhões de brasileiros que gastam sua energia distribuindo ressentimentos passivos. Olham o escândalo na televisão e exclamam ‘que horror’. Sabem do roubo do político e falam ‘que vergonha’.
Vêem a fila de aposentados ao sol e comentam ‘que absurdo’.
Assistem a uma quase pornografia no programa dominical de televisão e dizem ‘que baixaria’.
Assustam-se com os ataques dos criminosos e choram ‘que medo’.
E pronto! Pois acho que precisamos de uma transição ‘neste país’.
Do ressentimento passivo à participação ativa.
Pois recentemente estive em Porto Alegre,onde pude apreciar atitudes com as quais não estou acostumado, paulista/paulistano que sou.
Um regionalismo que simplesmente não existe na São Paulo que, sendo de todos, não é de ninguém. No Rio Grande do Sul, palestrando num evento do Sindirádio, uma surpresa.
Abriram com o Hino Nacional.
Todos em pé, cantando.
Em seguida, o apresentador anunciou o Hino do Estado do Rio Grande do Sul.
Fiquei curioso. Como seria o hino?
Começa a tocar e, para minha surpresa,todo mundo cantando a letra!
‘Como a aurora precursora do farol da divindade, foi o vinte de setembro o precursor da liberdade’.
Em seguida um casal, sentado do meu lado, prepara um chimarrão.
Com garrafa de água quente e tudo.
E oferece aos que estão em volta.
Durante o evento, a cuia passa de mão em mão, até para mim eles oferecem.
E eu fico pasmo.
Todos colocando a boca na bomba, mesmo pessoas que não se conhecem.
Aquilo cria um espírito de comunidade ao qual eu, paulista,não estou acostumado.
Desde que saí de Bauru,nos anos setenta, não sei mais o que é ‘comunidade’.
Fiquei imaginando quem é que sabe cantar o hino de São Paulo.
Aliás, você sabia que São Paulo tem hino? Pois é… Foi então que me deu um estalo.
Sabe como é que os ‘ressentimentos passivos’ se transformarão em participação ativa?
De onde virá o grito de ‘basta’ contra os escândalos, a corrupção e o deboche que tomaram conta do Brasil?
De São Paulo é que não será.
Esse grito exige consciência coletiva,algo que há muito não existe em São Paulo. Os paulistas perderam a capacidade de mobilização.
Não têm mais interesse por sair às ruas contra a corrupção.
São Paulo é um grande campo de refugiados,sem personalidade, sem cultura própria, sem ‘liga’.
Cada um por si e o todo que se dane. E isso é até compreensível numa cidade com 12 milhões de habitantes.
Penso que o grito – se vier – só poderá partir das comunidades que ainda têm essa ‘liga’.
A mesma que eu vi em Porto Alegre.
Algo me diz que mais uma vez os gaúchos é que levantarão a bandeira.
Que buscarão em suas raízes a indignação que não se encontra mais em São Paulo.
Que venham, pois. Com orgulho me juntarei a eles.
De minha parte, eu acrescentaria, ainda: ‘…Sirvam nossas façanhas, de modelo a toda terra…’

Arnaldo Jabor

sábado, 17 de setembro de 2011

Semana Farroupilha 2011

 
          De 14 até 20 de Setembro aqui no Rio Grande do Sul comemoramos a Semana Farroupilha. O maior evento sócio-cívico-cultural do Estado. Comemoramos o orgulho gaúcho, a cultura de um povo que jamais renegou suas origens. Revivemos o passado não somente nessa semana , mas o ano todo porque ser gaúcho é lembrar as coisas antigas sem esquecer de buscar o futuro. É importante lembrar a todos que cultuamos nossas tradições os 365 dias do ano. Porque afinal ser gaúcho é ser diferente. Essa música que posto hoje é a música tema dos Festejos Farroupilhas 2011, conta toda a história do povo gaúcho, das lutas pela posse de terras, da imigração, enfim as "Nossas Raízes".

Cantando nossas raízes
Letra e música: Érlon Péricles e Duca Duarte
Nossas raízes vem contando a trajetória
Que a própria história desenhou no nosso chão,
Com cicatrizes de derrotas e vitórias
E um sentimento de amor no coração.
A base forte é a criação dos Sete Povos
Que trouxe a arte, o cultivo e a religião...
Depois as tropas e o “gaudério” em seu cavalo
Abriram cancha para a colonização.
TERRA GAÚCHA, POVO FELIZ!
REVIVO A HISTÓRIA
PRA CANTAR NOSSA RAIZ!
Se misturaram etnias e valores
Forjando assim um ideal para seguir,
Surgiu então a Província de São Pedro  
E em casa estância um novo sonho a construir.
Seguiu a história pelas mãos dos Açorianos
Que foram erguendo o futuro de sua gente,
Fé no trabalho, com bravura e com coragem
E desse jeito o Rio Grande foi em frente!   
Era o progresso gerando a prosperidade
Cobrando o preço do sucesso da jornada,
Assim o negro que era escravo nas Charqueadas
Ficou com marcas que o tempo não apaga.
Muitas batalhas, muitas guerras e peleias
E se organiza a sociedade nesse instante,
Fora chegando os colonos alemães
E na bagagem os seus sonhos imigrantes.

domingo, 11 de setembro de 2011

11 de Setembro / 10 anos

"Chorei pela guerra cotidiana. Pelas tentativas de sobrevivência. Pelos apelos de paz não atendidos. Pelo amor derramado. Pelo amor ofendido e aprisionado. Pelo amor perdido." Caio Fernando Abreu





"Tente. Sei lá, há sempre um pôr-do-sol esperando para ser visto."



“Que o sol a brilhar nas manhãs chuvosas tenha força para radiar os corações cinzas.”



"Decepções são apenas uma forma de Deus dizer: eu tenho algo melhor para você."



"Que, mesmo quando estivermos doendo, não percamos de vista nem de sonho a ideia da alegria. Tomara que apesar dos apesares todos, a gente continue tendo valentia suficiente para não abrir mão de se sentir feliz. "


O dia em que se viu, que todos, sem exceção estão sim vulneráveis. Independentemente de classe, etnia ou potência.


"Tudo o que acontece à gente é uma mera consequência daquilo que se fez."


terça-feira, 6 de setembro de 2011

Para você o que significa PÁTRIA?

              Ontem dia 4 de setembro ocorreu o desfile alusivo às comemorações da Semana da Pátria. Pois, dia 7 de setembro comemoramos a Independência do Brasil, que deixou de ser colônia de Portugal. Isso já estamos acostumados a estudar na escola e ouvir falar diariamente. Mas o que realmente me entristece muito é que as pessoas não sabem o significado da palavra CIVISMO. Quando estava passando pela rua a qual horas antes aconteceu o desfile, o que vi foi uma sujeira enorme : garrafas pet, sacolas, palitos de picolé, copos, papéis, etc. Jogar lixo no chão é um ato que mostra a inferioridade cultural da população. Para que sujar o que é público? E logo no dia em que estamos festejando a sua autonomia. A conduta da população alegretense diz respeito ao tipo cultura que temos, ou seja, não temos cultura a maioria das pessoas nem sequer tem postura diante do hino, ou de sabe se portar durante o cântico dele. Será que todos que desfilam sabe o porquê que estão ali. Não precisa amar nem honrar a bandeira, nem tampouco jurar amor à pátria, mas o mínimo que se deve ter é respeitar os nossos símbolos. Se perguntarmos aos jovens porque estão desfilando, será que saberão por quê? É para ganhar nota? É neste ponto que as escolas tem que conscientizarem seus alunos. Não é um desfile de moda, nem algo que se deve comprar os alunos,  posso afirmar que eu e minhas amigas desfilamos porque queremos, porque somos orgulhosos de dizer que somos brasileiros e que honramos a pátria e não por nota como a maioria. Devemos ter mente sempre : Que antes de estudarmos outras culturas, outros países, outros símbolos, temos que conhecer e saber o significado dos nossos símbolos. Uma PÁTRIA nada se seria se não houvessem habitantes comprometidos com o bem estar em comum. Feliz dia da Independência do Brasil!!  


Turma 304 - Demétrio Ribeiro
E para você o que significa PÁTRIA? Qual a importância do 7 de setembro?
Um beijo a todos!
E continuem nos acompanhando!
A sujeira deixada pelas pessoas após o desfile...

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Dia do Jovem Tradicionalista

        O jovem cada vez mais vem se destacando no meio tradicionalista, por suas ideias e atitudes valorosas. Essa valorização também se deve ao fato de serem exemplos para as crianças, e também considerados o futuro do Movimento Tradicionalista organizado. O Departamento Jovem do Movimento Tradicionalista Gaúcho tem como objetivo apoiar aos demais departamentos colaborando na organização de suas tarefas. Também passando aos jovens da sociedade responsabilidades, não só como auxiliador, mas ser a estrutura de seus próprios projetos, como oficinas, palestras, debates e eventos que transmitam a cultura, sabedoria, valores morais e éticos, que contribuam com a sociedade seguindo sempre a carta de princípios. 
       Para valorizar e incentivar a participação dos Jovens no Movimento Tradicionalista Gaúcha, no ano 1991, durante o 36º Congresso Tradicionalista Gaúcho, no CTG Julio de Castilhos, na cidade de mesmo nome, foi oficializado o Dia do Jovem Tradicionalista, esse que é comemorado anualmente no dia 05 de Setembro. A data foi escolhida por uma razão histórica: Porto Alegre decidiu erguer um Panteon para abrigar os gloriosos despojos dos heróis farroupilhas. David Canabarro estava quase esquecido em Santana do Livramento. Em Porto Alegre, um moço do colégio Julio de Castilhos, filho de Livramento, procurou a Liga de Defesa Nacional e se ofereceu para organizar um piquete gauchesco para dar escolta a cavalo ao féretro de David Canabarro, que vinha para inaugurar o anunciado Panteon. Recebida a autorização, João Carlos D'Ávila Paixão Côrtes (alto, esguio, dinâmico, a perfeita imagem do gaúcho campeiro) saiu por Porto Alegre a catar companheiros para a aventura, arreios e cavalos. Assim, no dia 5 de setembro de 1947, ele montou garbosamente com mais sete companheiros, arrancando aplausos da multidão ao longo da avenida Farrapos, até a Praça da Alfândega, onde o desfile fez uma parada estratégica. 
     Eles ficariam na história como o " GRUPO DOS OITO ", os verdadeiros iniciadores do Movimento Tradicionalista.
   Sendo assim, o Dia do Jovem Tradicionalista remonta à década 50, essencialmente pela iniciativa de jovens como Paixão Côrtes e João Carlos D’Ávila, entre outros. Neste ano, as comemorações alusivas ao Dia do Jovem Tradicionalista têm como tema: Carta de Princípios, valores e atitudes. Tema que tem como objetivo identificar quais os valores que a sociedade atual deixou se perder, valores estes que estão presentes na Carta de Princípios, que apesar de completar 50 anos, se mantém sempre atual. O tema foi escolhido pelos próprios Diretores Jovens das 30 Regiões Tradicionalistas, juntamente com os Coordenadores Inter-regionais, e o Departamento Jovem Central do MTG, departamento esse ligado a vice-presidência de Cultura. O tema foi escolhido pois esses jovens acreditam que podem fazer um mundo melhor. Eles têm em mente que, se cada cidadão Tradicionalista ou não, for consciente de seus direitos e deveres, dos seus valores e princípios, ou seja, tenha a certeza de onde veio, de fato saberá onde quer chegar. Sendo assim, buscam uma sociedade com mais Liberdade, Igualdade e Humanidade. (Texto retirado do blog do Departamento Jovem do MTG e adaptado por Kelem)
 **Pessoal faz dias que não posto nada no blog, pois minha semana passa voando e hoje não poderia deixar de falar sobre uma das minha paixões que é o tradicionalismo. Espero que tenham gostado deste texto, preferi deixá-lo na íntegra pois diz exatamente o papel que o jovem exerce nessa luta constante pela propagação da cultura sul -riograndense. "Viva o Rio Grande! Viva a Revolução! Viva o Brasil!" 5 de Setembro #diadojovemtradicionalista

sábado, 3 de setembro de 2011

Dia do Biólogo!




Ser biólogo é uma profissão muito importante, pois é o estudioso dos seres vivos, sua morfologia – sua forma; sua organização – anatomia; seus tecidos – histologia; suas células – citologia, seu funcionamento – fisiologia, as doenças que acometem os seres vivos – patologia; sua relação com o meio ambiente – ecologia, dentre outras áreas.
A regulamentação da profissão se deu em 1979, através da Lei 6.684, implementada no dia 03 de setembro, motivo pelo qual a data foi escolhida para homenagear esse profissional.
Registros mostram que a primeira classificação dos animais foi feita pelo grego Aristóteles, onde o mesmo conseguiu catalogar cerca de quinhentas espécies.
Sobre a anatomia humana, em 1316, foi lançado o primeiro livro, através de estudos do professor Mondino de Luzzi, professor da escola italiana de medicina, em Bolonha.
Um dos fatos mais importantes e consideráveis foi a Teoria da Evolução, criada pelos biólogos ingleses Darwin e Russel, comprovando que o organismo de animais e plantas passa constantemente por alterações.
Porém, o maior destaque da biologia foi feito em 1944, através da descoberta do DNA (ácido desoxirribonucleico), pelo bacteriologista norte-americano Oswald Theodore Avery, através da identificação do código genético que cada ser vivo possui, determinando suas características, sua herança genética.
As áreas de atuação de um profissional formado em biologia são muitas, desde professor de ciências, a partir do 5º ano, ensino médio e universidades, fazer estudos das plantas (botânico); fazer estudos dos animais (zoólogo); estudar os seres marinhos, ecologia e meio ambiente, ou ainda fazer estudos de seres microscópicos, através da microbiologia. Também trabalham com a aplicação das técnicas de controle de pragas e, principalmente, pela preservação do meio ambiente, além de realizar exames e verificar doenças genéticas.

A ética desse profissional deve estar baseada, antes de tudo, no princípio da vida, bem como na preservação das espécies, do meio ambiente e na cultura de sustentabilidade.

Eis, o juramento:
“Juro pela minha fé e pela minha honra e de acordo com os princípios éticos do Biólogo, exercer as minhas atividades profissionais com honestidade, em defesa da vida estimulando o desenvolvimento Científico, Tecnológico e Humanístico com justiça e paz.”


Feliz dia do Biólogo, para todos os profissionais dessa área e que continuem lutando em prol da vida e da preservação da natureza!
Desejo a todos uma ótima semana! Andamos muito atarefadas, mas quando pudermos passamos por aqui... Beijo, obrigada por nos acompanharem!